Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Surfar nos Pensamentos

Surfar nos Pensamentos

27
Set19

A nossa vida ou a vida é nossa?

Pedro Almeida

A vida nunca foi fácil para nenhuma geração, e ninguém pode dizer que tem uma vida facilitada, isto porque a certa altura há-de ter experienciado algum tipo de dificuldades.

 

Porém, a vida moderna e a globalização, não obstante das suas vantagens, tornou a vida bem mais difícil e tem havido tendência a piorar:

- Somos vistos como máquinas e não como humanos;

- Valoriza-se mais a distância e não tanto o cara-a-cara (novas tecnologias);

- Acumula-se horas de trabalho ao mesmo tempo que se reduz horas de vida.

 

Infelizmente, o Marketing também tem um papel negativo, por exemplo, ao longo da infância educamos os filhos a pouparem dinheiro para o futuro mas, devido à publicidade intensiva de certos produtos, este dinheiro é gasto num telemóvel de 1.000€.

 

Por outras palavras, a publicidade "comanda" a mente das pessoas sem que estas se apercebam e o desafio é sabermos aquilo que nos torna feliz e quais as nossas necessidades.

 

Resumindo:

- Não temos de ser máquinas e aguentar tudo, temos sim de valorizar a nossa pessoa em todos os aspetos;

- Não temos de gritar p'ró mundo inteiro que estamos tristes, no mínimo temos de estar conscientes das nossas vulnerabilidades e dos nossos sentimentos.

 

A vida não se vive sozinha, vive-se com alma, com pessoas e com prazer!

 

 

19
Mai19

O que pode dar errado quando tudo pode dar certo?

Pedro Almeida

A vida tem uma forma estranha de ser porque nunca podemos dar nada como garantido, nem sequer sabemos se vamos acordar no dia seguinte. Por isso mesmo, não sabemos com todas as certezas se algo na vida vai dar certo ou errado, apenas que com sacrifício e determinação, e muitos outros "ingredientes",  as chances de dar certo serão muito maiores!

No entanto, também não devemos dar nada como "perdido", temos de saber viver a vida, até porque há uma solução para cada problema/situação. Por vezes, basta olharmos para o problema numa perspetiva diferente e a resposta encontra-se ali à nossa "frente", onde sempre esteve.

Pode não ser tão ssimples assim, como se costuma dizer "cada caso é um caso", e tudo aquilo que vamos experienciando ao longo da vida tem influência na forma como pensamos e agimos... Não quer dizer que sejamos influenciáveis, apenas cada situação tem um determinado impacto de pessoa para pessoa e é preciso saber parar para pensar, e saber orientar o pensamento para a solução e não para fugir ao problema.

 

A vida dá sempre as respostas que precisamos, apenas temos de saber procurá-las!

19
Mai19

O que pode dar errado quando tudo pode dar certo?

Pedro Almeida

A vida tem uma forma estranha de ser porque nunca podemos dar nada como garantido, nem sequer sabemos se vamos acordar no dia seguinte. Por isso mesmo, não sabemos com todas as certezas se algo na vida vai dar certo ou errado, apenas que com sacrifício e determinação, e muitos outros "ingredientes",  as chances de dar certo serão muito maiores!

No entanto, também não devemos dar nada como "perdido", temos de saber viver a vida, até porque há sempre uma solução para cada problema/situação. Por vezes, basta olharmos para o problema numa perspetiva diferente e a resposta encontra-se ali à nossa "frente", onde sempre esteve.

Pode não ser tão ssimples assim, como se costuma dizer "cada caso é um caso", e tudo aquilo que vamos experienciando ao longo da vida tem influência na forma como pensamos e agimos... Não quer dizer que sejamos influenciáveis, apenas cada situação tem um determinado impacto de pessoa para pessoa e é preciso saber parar para pensar, e saber orientar o pensamento para a solução e não para fugir ao problema.

 

A vida dá sempre as respostas que precisamos, apenas temos de saber procurá-las!

07
Abr19

O tempo não dá tréguas!

Pedro Almeida

Quando damos por nós, já passou mais uma semana e sentimos que o piloto autumático esteve ligado a maior parte do tempo, sem que tivéssemos qualquer controlo sobre o que acontece!

 

Por vezes parecemos zombies de olheiras até ao chão ou verdadeiras máquinas que, num ritmo alucinante, terminamos tudo o que há para fazer.... mas os ponteiros do relógio não param, e tempo para o resto?

 

Como é que uma semana chegou ao fim e só tivemos tempo para o trabalho? E aquele "interruptor" invisível que nos devia levar para uma outra galáxia? 

 

O pior que pode acontecer é vivermos a vida em piloto automático, porque tudo passa ao lado e nada fica a nossa memória. Será que nos acomodamos na rotina de pessoas trabalhadoras?

 

Basicamente, vivemos para trabalhar ou trabalhamos para viver!?

16
Mar19

E quando as portas do metro se abrem!

Pedro Almeida

Todos os dias ando nos transportes públicos e há sempre um novo episódio a contar, mas o caos é quando as portas do metro se abrem...

 

As pessoas poêm-se à frente umas das outras e querem entrar/sair ao mesmo tempo, todo um mundo de empurrões e discussões matinais, no qual parece não sobrar espaço para o mais importante, o civismo! Dá para perceber que há horários a cumprir e que a maior parte vive numa bolha de stress, mas se deixarmos transparecer toda essa frustração de forma pouca cívica, ninguém fica a ganhar.

 

Simplesmente é mais uma situação insignificante que nada contribui para a nossa felicidade, muito pelo contrário, nós somos humanos e exigimos respeito e até alguma tolerância por parte dos outros. E se não acontece no metro, acontece noutro lado qualquer, e não podemos permitir que a intolerância e a falta de civismosejam o prato principal do dia!

 

Precisamos sim de aboserver boas vibrações e não desdenhar do quão importante são estes detalhes na vida de cada um, é no detalhe que os palácios se tornam majestosos e é esse detalhe que por vezes faz diferença na vida das pessoas!

 

E quando as portas do metro se abrem, temos de abrir também o coração ou pôr o cérebro a funcionar no ritmo certo... Pode não resultar instantaneamente, porém, é bem melhor do que ser empurrado para se sair do metro.

05
Mar19

O relógio não pára!

Pedro Almeida

A vida é uma faca de dois gumes, tão rápido nos dá como tão rápido nos tira, por vezes sem percebermos o porquê...

 

Pode ser o destino sem qualquer explicação ou um mero sinal de que merecemos mais ou de que poderíamos ter feito melhor, porque no final de contas, quase tudo depende do nosso comportamento, da nossa atitude e até da nossa forma de pensar/estar.

 

Não nos podemos conformar com aquilo que já fizemos de bom no passado, temos sim de continuar a fazê-lo no presente. Isto porque, se ficarmos "parados" apenas a pensar naquilo que já fizemos de bom e não nos preocuparmos em continuar, haverá alguém que poderá fazer melhor do que nós.

 

O tempo é como um relógio mas que não pára nem espera, temos que fazer por acompanhá-lo e esse "fazer" encontra-se no "presente", e o "presente" é agora!

 

 

26
Fev19

O que faz falta!

Pedro Almeida

Ainda nem a meio da semana chegámos e o "comboio" já vai a mil à hora... é tempo para tudo, quando na verdade não temos tempo para nada e no "nada", estão as coisas mais importantes da nossa vida!

 

O que faz falta é apreciar o que a vida tem para nos dar, por exemplo, uns minutos para beber o café com amigos ou esperarmos uns minutos para irmos a conversar com alguém...

 

São minutos que valem por horas e que são recompensados com sorrisos, desabafos, algo que podemos guardar na "gaveta" da felicidade e daquilo que realmente importa.

 

Muito se diz que "quem corre por gosto não cansa" mas também não é saudável correr todos os dias, o corpo e a mente também precisam de descansar. Para além disso, ao abrandarmos o ritmo, podemos sorrir para quem se preocupa conosco ou apreciar a paisagem ou algo tão simples como gozar a vida.

 

De que vale estarmos sempre a correr se o tempo corre mais rápido do que nós?

17
Fev19

O rapaz que "fechou os olhos"...

Pedro Almeida

Na vida conhcemos pessoas que nos "enchem" de alegria e que até a sua

maneira simples de viver nos fazem querer estar na sua companhia!

 

Há uns anos atrás, havia um rapaz que por todos era adorado, a sua simpatia,

a sua maneira de pensar e os demais adjetivos que descrevem aqueles que nos

inspiram, e com os quais partilhamos um forte amizade.

 

O seu coração era de uma bondade que já não se encontra em qualquer pessoa,

no entanto, e com o passar dos anos, a sua mente/pensamento começou a moldar-se

com fortes convicções e com a tristeza que, por vezes, pairava na sua vida.

 

Por entre outros problemas que foram surgindo, a mente começou a tomar controlo

da sua vida e as suas decisões começaram a ser menos deliberadas.

 

No meio de todo este "cocktail explosivo", anos de vida terminaram em meros 

segundos mortais, num ápice difícil de imaginar, o que terá ele pensado minutos

antes de ter tomado aquela decisão? 

 

Infelizmente, nada na vida dura para sempre e cabe a nós saber apreciar aquilo

que nela existe e saber recordar aquilo que nela já existiu.

 

E as pessoas que partem? Essas ficam conosco, num lugar bem especial,

até porque nada apaga os momentos outrora vividos!

 

10
Fev19

Estar à altura do medo!

Pedro Almeida

Nem sempre o medo tem de ser visto como um obstáculo,

pode ser um desafio ou até um aviso que nos faz

pensar duas vezes antes de tomarmos uma decisão.

 

Quase todos nós andamos a mil, isto é, nunca estamos parados, há

sempre uma preocupação a pairar na nossa mente, seja a universidade,

o trabalho, a família... e nisto tudo, é comum termos medo do futuro,

porque não queremos que nada corra mal ou que fuja do nosso "controlo".

 

No entanto, não podemos esquecer que:

- É o medo que nos leva a dar mais de nós em cada tarefa;

- É o medo que nos faz parar e ponderar sobre o caminho a seguir;

- É o medo que, por vezes, nos faz evitar situações perigosas.

 

Ter medo não é sinal de fracasso, é sinal que estamos a viver,

ou seja, é inerente a todos os seres-vivos, até os animais têm medo

e é isso que os deixa em alerta/preparados para o que possa acontecer.

 

O medo nem sempre deve ser evitado, é quase como um "checkpoint" que

nos mantém a cabeça organizada e os pés bem assentes na terra,

até porque o futuro é o próximo destino!

05
Fev19

Amizades que ficam, Amizades que vão!

Pedro Almeida

A amizade não se vê no tempo mas sim na qualidade!

 

É mais importante aquele amigo que nos conhece há pouco tempo

mas que sempre nos apoiou, do que aquele que não está ao nosso

lado quando realmente precisamos.

 

Se tudo correr bem, somos capazes de viver até aos 85 anos e

durante esse tempo serão poucos os verdadeiros amigos, e esses,

terão 75% de impacto na nossa vida, seja a celebrar os bons momentos

como também a ajudar nos maus momentos.

 

Os restantes 25% advêm das outras pessoas com quem nos relacionamos, por exemplo,

o senhorque encontramos na esplanada todos os sábados, ou o vizinho que

nos convida pontualmente para ir beber um café. 

 

E quem não teve um grande grupo de amigos na escola e depois, por diversas razões,

só manteve uma amizade mais próxima com dois ou três?

 

Há pessoas que têm impacto na nossa vida e outras que apenas têm

impacto no nosso dia, e aí sim percebemos o valor que deve ser dado

cada uma das pessoas que se cruza connosco!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Calendário

Setembro 2019

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930